20 de ago de 2012

Revelações de João, O Divino - Introdução


Ref.: Apocalípse, 1:9-16

Na interpretação das Sagradas Escrituras e particularmente no Livro da Revelação, nós — antes de mais nada — devemos compreender que é indispensável investigar as verdades •ocultas sob a "veste", que se escondem internamente, como Max Heindel nos adverte:

"Deve ser levado em consideração que aqueles que escreveram a Bíblia não pretenderam tornar conhecida a verdade em forma tão crua para que qualquer pudesse lê-la; nem tampouco estava ausente de seus pensamentos escrever um "Livro Aberto de Deus". Os grandes videntes que escreveram o Zohar são enfáti­cos nesse ponto. Os segredos do Thorah (a lei) não são para serem com­preendidos por todos, como se vê na citação seguinte:

"Tribulação ao homem que vê no Thorah apenas simples recitativo e palavras comuns! Porque, se na verdade, ele contivesse apenas isso, nós seríamos hoje capazes de compor um Thorah muito mais admirável. Porém não é apenas isso. Cada palavra do Thorah contém um significado elevado e um sublime mistério. A recitação do Thorah são vestimentas do Thorah. Tribulação para aquele que toma a vestimenta pelo Thorah ou pelo Thorah em si mesmo !... Os simples notam as vestes e os recitativos do Thorah, não sabem outra cousa, não vêm o que se oculta sob a vestimenta. Os homens mais instruídos não atentam para a vestimenta, mas sim para o corpo que ela veste."

A Filosofia Oculta foi dada para os "homens mais instruídos", isto é, para os “iniciados” nos ensinamentos relacionados com a origem, a evolução e futuro desenvolvimento do homem e do universo. Aí temos a chave dos segredos íntimos da Bíblia. São João foi um daqueles grandes iniciados que tão zelosamente seguiram Aquele que disse: "Eu Sou o Caminho, a Verdade e a Vida, ninguém vai ao Pai senão por Mim", isto é aqueles que estão aptos a lerem na Memória da Natureza (o Mundo do Pensamento e o Mundo do Espírito de Vida) e que adquiriram informações não existentes em nenhuma outra fonte. No Conceito Rosacruz do Cosmos é enunciado que o bem amado João simboliza a Iniciação de Vênus. Dessa forma a "Revelação" de João ou a "visão" das imagens — símbolos — são para aqueles que têm olhos para verem o registro sublime do passado, do presente e do futuro do homem, o microcosmos ou o Deus em formação, e o universo ou o macrocosmos. Essas condições englobam não somente as mudanças materiais nos corpos visíveis do homem e da terra, como também as metamorfoses menos perceptíveis nos íntimos recessos do ser humano, à medida que ele progride desde a argila a Deus. A vinda de Cristo como Espírito Planetário Interno de nossa terra abriu em toda a sua extensão as portas da iniciação para "todo aquele que quiser" e para todo aquele que ouve o perene chamamento". — "Venham a Mim" — estaremos entre aqueles "redimidos" a respeito dos quais São João profeticamente se refere. (João 5:9).


Essa é apenas uma pequena parte da Revelação de S. João. Seu total significado somente poderá ser conhecido (porque não pode ser transmitido) por aquele que se dispuser a viver uma vida cristã-rosacruz. Estas informações que damos aos Ir­mãos, são apenas informações, a direção para a consecução do grau de Verdadeiro, Real Cristão. Somente quando conhecermos o nosso Cristo Interno seremos realmente Cristãos.