29 de jun de 2015

O Cristo, o Sal e a Lua

por Jonas Taucci
Ref.: Mateus 5:13  (O Sermão da Montanha)
No evangelho de Matheus, temos o luminoso Sermão da Montanha, e em 05:13, há uma citação do Cristo – curta, porém de uma magnificência espiritual que nos inspira e orienta:
VÓS SOIS O SAL DA TERRA
Os Ensinamentos Rosacruzes nos fornecem maravilhosos subsídios para uma profunda compreensão desta frase de Cristo.

* Todos nós já tivemos a experiência de provar um alimento que requer sal em seu preparo, porém por qualquer motivo e/ou, esquece-se de colocar; fica insosso. O sal contribui para o tempero, o gosto da comida. Sejamos o sal que – com nossos atos de bondade – tempera, dá agradabilidade à nossa vida e aos que nos rodeiam, contribuído assim para que apressemos a libertação do sacrifício anual que Cristo realiza em sua jornada à Terra.

* Raríssimas vezes vemos o sal nos alimentos que o necessitam, mas o sentimos. Sejamos o sal: pratiquemos o bem aos nossos semelhantes, sem sermos vistos. Nosso trabalho em ação, e não nossa persona, alimentando assim nosso Eu Superior.

* Ver o sal no alimento geralmente o torna excessivamente salgado e de difícil paladar agradável. Sejamos o sal, não procurando sermos enaltecidos e vistos pelo mundo, nem colocando-nos em evidência ou holofotes do efêmero sucesso mundano, que alimenta nosso Eu Inferior.

* Certos alimentos (as não recomendadas carne e peixe, além de vegetais em conservas nos vidros) quando envoltos pelo sal ou salgados, mantêm sua conservação para o consumo por longo tempo. Vemos isso em mercados, feiras, vendas etc. Sejamos o sal (amor em ação) que impede a putrefação de nossa espiritualidade, e nos encaminha seguramente para o nascimento de nosso Cristo Interno.

* Etimologicamente, a palavra salário deriva de sal. Era este o elemento recebido pelos trabalhadores no passado, por suas tarefas realizadas. Sejamos o sal; que com nosso trabalho honesto nos permite viver de uma maneira Crística.

* Nas obras Filosofia Rosacruz em Perguntas e Respostas – Volume II-perg.78, e Iniciação Antiga e Moderna capítulo VII – O Estigma e a Crucificação, Max Heindel faz uma relação entre a água salina lunar, o sal da terra e desejo/emoção. Em sabendo – astrologicamente – haver uma afinidade entre estas citações e as Hierarquias da Lua, Câncer e 4ª Casa Zodiacal, sejamos o sal; refinemos, cristifiquemos os nossos desejos, emoções e sentimentos, servindo nossos semelhantes de uma maneira amorosa e desinteressada.

Tende sal em vós mesmos, e paz uns com os outros. (Evangelho de Marcos - 09:50)
                                                                                Palavra Devocional, domingo dia 21 de Junho de 2.015
Ouça esta palavra devocional no youtube 
Iniciação Antiga e Moderna - livro impresso  -  livro online

Nenhum comentário:

Postar um comentário