9 de dez de 2012

O Rito da Imaculada Concepção

por Corinne Heline
Ref.: Mateus, 1
O Evangelho de Mateus se inicia com a genealogia do homem Jesus. E uma forma de chamar nossa atenção para os ensinamentos do Cristianismo Esotérico onde se esclarece que Jesus, embora altamente espiritualizado, o Ego mais avançado que viveu sobre a Terra, com toda sua pureza e santidade, pertencia, no entanto, à onda de vida humana, terrena. Nesse renascimento ele veio à Terra com a finalidade de revelar a todos os seus irmãos humanos a possibilidade a todos oferecida e acessível, de se tornar um dia como ele e maior ainda.
O Evangelho de Mateus corrobora essa asserção:
"E Jacó gerou a José, marido de Maria, da qual nasceu Jesus, que se chama o Cristo. De sorte que todas as gerações, desde Abraão até Davi, são catorze; e desde Davi até à deportação para a Babilônia, catorze; e desde a deportação para a Babilônia até Cristo, mais catorze gerações" (Mateus 1 :16-17).
Os significados internos também mantêm que José e Maria eram Iniciados da Ordem dos Essênios (os cristãos místicos daquele tempo) os quais, integralmente conscientes de suas missões, prepararam-se para se tornarem os castos e puros pais do Mestre Jesus.
Foi missão dos videntes e profetas do Velho Testamento prepararem a vida de Jesus e o grande trabalho redentor do Cristo. Não somente predisseram os eventos relacionados com esse acontecimento, como, por meio da profunda compreensão que possuíam, explicaram alguma coisa da natureza da missão, tanto de Jesus como do Cristo:
"Eis que a virgem conceberá a dará à luz um filho e chamá-lo-ão peio nome de EMANUEL, que, traduzido é: Deus conosco" (Mateus 1:23).
Após esse versículo há uma interpolação. Os textos originais guardavam o verdadeiro sentido esotérico. Depois a religião cristã se foi perdendo no dogma, no credo e no ritualismo. Ao procurar provar a verdade da Imaculada concepção pelo Espírito Santo, pessoas já desconhecedoras dos significados sagrados e das forças espirituais que podem operar na vida de cada grande iniciado, acrescentaram o seguinte enxerto:
"Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes de ajuntarem achou-se ter concebido do Espírito Santo. Então José, seu marido, como era justo, e a não queria difamar, intentou deixá-la secretamente. E, projetando ele isso, eis que em sonho lhe apareceu um Anjo do Senhor, dizendo: José filho de Davi, não temas receber a Maria, tua mulher, porque o que nela está gerado é do Espírito Santo" (Mateus 1: 18-20).
Jesus é mais que um exemplo inspirador: é o supremo Semeador de todos os homens. Como excelso membro de nossa humanidade, revelou as possibilidades de realização do cada homem. O que ele fez, todos poderão fazer. Pertencesse Jesus a uma outra ordem de seres e por certo não poder.a ter sido o exemplo que agora é, para nossa emulação.
Todavia, atente-se para isto: não devemos tomá-lo como retrato da um ideal abstrato de perfeição, somente possível para quem tenha atingido um estado super-humano de desenvolvimento. Não. O que Ele fez, representa, é, o destino de cada um, no presente estágio humano. Devidamente interpretada, a Bíblia está acorde com uma nova Era, em que estes princípios serão mais clara e largamente admitidos, em consonância com uma ciência espiritualizada. Ela virá reforçar a verdade de que todos se agruparão num mais íntimo relacionamento prático, com os elevados Iniciados, Jesus, Maria e José. Não só nos associaremos cada vez mais com eles, como nos tornaremos à sua semelhança, à medida que nossos atos se forem conformando à vontade de Deus. Um novo despertar dessas verdades e sua prática no diário viver irão processando o advento da Nova Era, cuja aurora será prenunciada pelo estabelecimento das condições que prepararão a volta futura do elevado e arcangélico espírito de Cristo.
Cada advento, na vida de Jesus Cristo, encontra um paralelo na vida daquele que aspira os dotes do Iniciado, tal como Jesus, Maria e José. Da mesma forma, em cada religião pré-cristã ou Escola iniciática, sem exceção, o caminho da realização é prenunciado nas vidas dos grandes mestres, tão claramente como foi mostrado aos cristãos pela vida de Jesus Cristo.
Nos movimentos pré-cristãos vemos sempre uma imaculada concepção, a realização de milagres, uma crucifixão e uma ressurreição. Assim é, porque o caminho da iniciação é similar para todos. Daí cada mestre ser figurado experimentando esses degraus anímicos em sua vida. Há, todavia, uma exceção: a lenda da Estrela a guiar os Magos está ligada apenas ao nascimento de Jesus. Essa estrela misteriosa era o Arcanjo Cristo, adejando no alto abençoando o nascimento de Jesus e induzindo o seu corpo santificado com os Seus poderes celestiais, a fim de torná-lo um veículo adatável ao Seu uso posterior durante os três anos de Seu Ministério na Terra.
 
Parte 8 (jan, 1966)da série The Gospels de Corinne Heline, publicado na "Rays from the Rose Cross" no período de maio de 1965 a setembro de 1974. Tradução publicada na revista Serviço Rosacruz de janeiro, 1967.
 
 Relacionados: O Rito da Natividade