3 de mar de 2013

A Àrvore da Vida

 
Deus, o Arquiteto de nosso Sistema Solar, é Trino. Seus atributos são: Vontade-Poder; Amor-Sabedoria; Moção-Atividade. O aspecto de Amor-Sabedoria é o que expressa Cristo-Cósmico o mais alto iniciado do Período Solar. Um raio do Cristo Cósmico penetrou na Terra, tornando-se desde então seu Espírito Interno e, daí para diante, tem infundido nos homens os sentimentos de altruísmo para aquisição de uma consciência idêntica à sua. Comumente Cristo usa o Espírito de Vida como veículo de expressão mais inferior de sua natureza. Funcionando conscientemente no Mundo do Espírito de Vida, o primeiro dos Mundos Universais, Ele se reflete no corpo vital dos homens, assim como aquele mundo (o seu) se reflete na Região Etérica de nosso globo. Foi ao Reino de Cristo e à Sua Consciência que São João se referiu, ao falar do "rio puro da água da vida". Igualmente, pela boca de João Evangelista o Cristo exprimiu a mesma idéia, ao dizer: "Mas aquele que beber da água que Eu lhe der, nunca terá sede, porque a água de que eu lhe der se fará nele uma fonte que salte para a vida eterna"; e mais ainda, quando disse em João, cap. 7, vers. 37: "Se alguém tem sede, venha a mim e beba".
A árvore da vida é a "faculdade de regeneração da força vital", possível por meio da nova taça de vinho mencionada como o ideal a ser atingido na futura Época,a Nova Galiléia - um órgão etérico na parte in­terna da cabeça e da laringe, construído pela força sexual libertada e sublimada, o qual, à vista espiritual aparece como o caule de uma flor que ascende da parte inferior do tronco. Esse cálix ou a taça da semente é o verdadeiro órgão criador, capaz de pronunciar a palavra de vida e de poder.
"A palavra atual é gerada, produzida, pelos movimentos imperfeitos dos músculos os quais regulam a laringe, a língua e os lábios para que o ar que vem dos pulmões torne possível determinados sons. Porém o ar é um meio denso difícil de manipular, em comparação com as mais refinadas forças da natureza, tais como a eletricidade, que se movi­menta no éter. Quando esse novo órgão tiver sido desenvolvido, tornar-se-á possível falar a palavra de vida e infundir vitalidade em substâncias que atualmente são inertes. “Presentemente, aqueles que beberem da taça da abnegação, e que podem usar sua força no serviço aos demais, estão construindo esse órgão, juntamente com o corpo-alma, que é o manto nupcial. Estão aprendendo a usar esse órgão de um modo incipiente como Auxiliares Invisíveis quando se encontram fora de seus corpos à noite, que é quando são ensinados a pronunciar a palavra do poder que remove doenças e constrói tecidos saudáveis” (Max Heindel, O Corpo Vital – Cap. IV).
Na Nova Galiléia a humanidade viverá no ar, em seus corpos luminosos, numa Terra feita de éter. O Amor e a Fraternidade prevalecerão e o Cristo (que terá vindo pela segunda vez) reinará como Melquizedeque (Rei e Sacerdote).
publicado na revista Serviço Rosacruz, setembro, 1965